Início Casamentos Casamento homoafetivo no Brasil: como funciona?
Casamento homoafetivo no Brasil: como funciona?

Casamento homoafetivo no Brasil: como funciona?

Segundo dados da pesquisa PoderData, realizada entre 4 e 6 de janeiro de 2021, 51% dos brasileiros são favoráveis à união homoafetiva, enquanto 33% se mostraram contra e 16% não souberam ou não responderam. Mas, afinal, como funciona a lei em relação ao casamento homoafetivo no Brasil?

A legislação e o casamento homoafetivo no Brasil

O Supremo Tribunal Federal (STF), em 2011, reconheceu a união estável entre casais gays como entidade familiar. 

Assim, os homossexuais passaram a ter os mesmos direitos previstos na Lei de União Estável (9.278/1996), que entende a entidade familiar como “a convivência duradoura, pública e contínua”.

Com essa decisão, a comunidade LGBTQIA+, que até então só podia celebrar a união estável, começou a pressionar ainda mais o STF para ter direito ao casamento civil.

Foi assim que, em 2013, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) aprovou a realização do casamento civil para casais homoafetivos por parte dos cartórios.

Mas existe uma lei para o casamento homoafetivo no Brasil?

A verdade é que o casamento homoafetivo no Brasil ainda não é lei.

O CCJ, em 2017, até chegou a aprovar no Senado o projeto de lei n° 612/2011, que reconhece o casamento homoafetivo no código civil brasileiro, mas a proposta foi barrada após um recurso do senador Magno Malta – que solicitou que houvesse a votação em plenário.

E a criação de uma lei para esse cenário influencia em que?

A proteção de um projeto de lei para o casamento homoafetivo no Brasil é bastante importante porque, sem ela, o presidente da República pode realizar proibições e decretos, sobrepondo, então, a decisão final do STF. 

Como oficializar a união civil homoafetiva?

Casamento homoafetivo

O processo para oficializar o casamento homossexual é exatamente o mesmo que ocorre com os casais héteros.

Basta levar a documentação necessária e se casar na presença de um juiz de paz.

Além disso, há uma taxa a ser paga e é preciso escolher um regime de bens:

  • Comunhão Universal de Bens
  • Comunhão Parcial de Bens
  • Participação Final nos Aquestos
  • Separação Total de Bens

Afinal, como ficam os sobrenomes?

No caso do casamento homoafetivo no Brasil, o uso do sobrenome do companheiro é totalmente opcional.

Sendo assim, o casal pode assumir o sobrenome do outro, contanto que mantenha, pelo menos, um dos seus sobrenomes anteriores.

E o processo de adoção?

Aqui no Brasil, a lei garante a prática da adoção aos casais homossexuais, portanto, é possível registrar a criança no cartório de registro civil e legalizar toda a situação.

A festa!

Festa de casamento homoafetivo

Vai comemorar o casório? Então, antes de mais nada, fique à vontade!

Vocês podem usar o traje que quiserem – seja ele mais moderno ou mais clássico -, decorar a festa como preferirem, convidar quantas pessoas desejarem e celebrar esse momento único da forma mais encantadora possível.

Afinal, o grande dia é de vocês!

Aliás, falando em grande dia…

Se vocês já estão começando a planejar essa festa, que tal criar um site de casamento no Casar.com? É sem custo!

Aqui, vocês terão acesso a inúmeros benefícios, incluindo um RSVP personalizado, um Save the date digital e a possibilidade de fazer uma lista de presentes toda especial.

Se acaso quiserem, podem entrar em contato com a nossa equipe, das 9h às 21hs, através do chat ou, então, pelo e-mail atendimento@casar.com.

Por fim, aqui vão algumas curiosidades

Curiosidades
  • Não existe diferença jurídica entre casamentos homo e heteroafetivos, ou seja, os direitos e deveres são os mesmos para todos
  • O direito ao casamento homoafetivo só poderia ser revertido se o Congresso aprovasse uma lei proibindo o casamento entre pessoas do mesmo sexo
  • Quem já realizou seu casamento, não pode tê-lo anulado – mesmo que a lei mude
  • Segundo o IBGE, em 2017 foram registrados quase 6 mil casamentos gays no Brasil – esse número representa um aumento de 60% quando comparado a 2013, mas também corresponde a menos de 1% do total de casamentos heterossexuais celebrados em 2017
  • A única diferença entre casamento e união estável é a formalização. Enquanto o primeiro exige um documento, o segundo não necessita
  • O casamento homoafetivo também é permitido em outros países como, por exemplo: África do Sul (2006), Alemanha (2001), Argentina (2010), Austrália (2017), Bélgica (2003), Dinamarca (1989), Estados Unidos (2015), Holanda (2001), Irlanda (2015), Noruega (2009), Portugal (2010), Suécia (2009) e Uruguai (2013)

Saiba mais

Conheça 5 razões para criar seu site de casamento.

Quais são as vantagens de ter uma lista de casamento?

Olha só esse checklist do casamento para te ajudar na organização do evento!

Casamento homoafetivo no Brasil: como funciona?
5 (100%) 2 votes

CASAR Salvador 2018